Minhas principais inspirações para este texto foram os filmes Ela, Inteligência Artificial, O Exterminador do Futuro, 2001: Uma Odisséia no Espaço e um episódio do seriado Black Mirror.

“Ela” é o drama de um escritor solitário que acaba de comprar um novo sistema operacional para o seu computador e se apaixona pela voz deste programa, dando início a uma relação amorosa entre ambos. A história explora a relação entre o homem contemporâneo e a tecnologia.

“Inteligência Artificial” traz um computador independente, com inteligência artificial, conhecido como A.I., que irá passar por uma jornada emocional inesquecível.

Em “O Exterminador do Futuro”, Skynet é uma inteligência artificial altamente avançada, criada no fim do século XX.

O malvado HAL, de “2001: Uma Odisséia no Espaço” é desonesto depois que os humanos planejam desativá-lo.

No episódio “Hang the DJ”, da 4ª temporada de “Black Mirror”, um aplicativo promete encontrar um par ideal, mas antes faz alguns “matches” com data de validade programada.

Hollywood ajuda um pouco a compreender este tema que ainda é tão mal interpretado: Inteligência Artificial. A combinação entre robôs e softwares deixa muitas dúvidas por aí.

Pesquisas de opinião mostram que mesmo líderes empresariais não têm um senso detalhado a respeito disso e que muitas pessoas comuns confundem o assunto com robôs superpotentes ou dispositivos hiperinteligentes.

Esses sistemas tomam decisões que, normalmente, requerem um nível humano de especialização e têm três qualidades que constituem a essência da Inteligência Artificial: intencionalidade, inteligência e adaptabilidade.

Hoje, acredita-se que a Inteligência Artificial se refere a máquinas que respondem à estimulação consistente com as respostas tradicionais dos humanos, dada a capacidade humana de contemplação, julgamento e intenção.

Você sabia, por exemplo, que computadores avançados, como o IBM Watson, já venceram seres humanos no xadrez? Pois é, eles são capazes de processar instantaneamente enormes quantidades de informações.

Na medicina, o melhor sistema de diagnóstico de câncer hoje é quem? O próprio Watson da IBM.

Os algoritmos de inteligência artificial são projetados para tomar decisões. Eles são diferentes de máquinas passivas que são capazes apenas de respostas mecânicas ou predeterminadas. Usando sensores, dados digitais ou entradas remotas, eles combinam informações de várias fontes diferentes, analisam o material instantaneamente e agem de acordo com os insights derivados desses dados.

Um exemplo da indústria de transportes mostra como isso acontece. Veículos autônomos são equipados com detecção de luz e alcance e sensores remotos que coletam informações do entorno do veículo. O detector usa a luz de um radar para ver objetos na frente e ao redor do veículo e toma decisões instantâneas sobre a presença de objetos, distâncias e se o carro está prestes a acertar alguma coisa.

Muitas aplicações da inteligência artificial já estão inseridas no nosso dia a dia e sabemos que no futuro sentiremos a presença da AI com mais intensidade, tanto na vida pessoal, como na profissional.

Ah, e se você já teve alguma experiência com assistentes virtuais, robôs de atendimento ou qualquer coisa do tipo e achou uma droga, saiba que, com a inteligência artificial, eles terão uma comunicação muito mais humana ou até melhor. Sem mau humor, esquecimentos ou distrações durante um atendimento.

Adriana Pinheiro
Redatora e locutora

//www.crearepp.com.br/wp-content/uploads/2018/10/logo-rodape-vermelho.png